Português Italian English Spanish

Polícia encontra corpo de enfermeira desaparecida; Filho reconheceu

Polícia encontra corpo de enfermeira desaparecida; Filho reconheceu

Data de Publicação: 8 de outubro de 2019 A família acompanhou as buscas e o filho fez o reconhecimento do corpo. O corpo estava em uma mata, perto de uma pista de treino para motocross. No carro da família havia sangue

MAJU SOUZA / Repórter MT / DA REDAÇÃO

RepórterMT/Reprodução

Polícia investiga a morte da enfermeira Zuilda Correa, de 43 anos

O corpo da enfermeira Zuilda Correa, de 43 anos, que estava desaparecida há onze dias, foi encontrado na madrugada desta terça-feira (8), em Sinop (500 km da Capital). O marido dela registrou uma denúncia, na última sexta-feira (27)

A Polícia Judiciária Civil (PJC) informou que as diligências estão em andamento. Os trabalhos foram realizados durante toda a madrugada, conduzidos pelo delegado Carlos Eduardo Muniz. A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) ainda querem confirmação oficial para mais detalhes do caso. A família acompanhou as buscas e o filho fez o reconhecimento do corpo. O corpo estava em um matagal perto de uma pista de treino para motocross. 

O caso

A enfermeira Zuilda Correia, de 43 anos, desapareceu na última sexta-feira (27). Ela era moradora da cidade de Sinop (500 km da Capital).

Segundo a Polícia Judiciária Civil (PJC), o marido da vítima foi até uma delegacia da cidade e registrou o desaparecimento de Zuilda. Ele afirmou aos policiais que na data do desaparecimento foi buscar a esposa no Hospital Santo Antônio, onde ela trabalhava, por volta das 18h, a deixou em casa e em seguida foi para o espetinho do qual são donos e ficou no aguardo da mulher, que não apareceu.

Mas, segundo ele, não estranhou o fato porque pensou que ela tinha ido à igreja. Certo tempo depois, o homem começou a ficar preocupado devido à demora.

Ao retornar para casa, o marido da vítima disse que encontrou a caminhonete do casal estacionada e a residência trancada.

Ao entrar, ele notou que faltavam roupas e dinheiro. Ele disse que pegou a chave reserva para abrir o carro, onde percebeu manchas de sangue e fios de cabelo. 

A Polícia Civil investiga o caso.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário